Brian Snyder/Reuters
Brian Snyder/Reuters

Romney vence em New Hampshire e avança rumo à candidatura republicana

Romney tinha 37,3% dos votos, uma grande distância de seu imediato perseguidor, Ron Paul

Efe,

11 de janeiro de 2012 | 08h30

MANCHESTER - O ex-governador de Massachusetts Mitt Romney se impôs com tranquilidade nas primárias republicanas de New Hampshire, e fica agora em uma cômoda posição para as seguintes paradas do calendário eleitoral: Carolina do Sul e Flórida.

 

Veja também:

blog PARA ENTENDER: Os Super-Pacs

tabela ESPECIAL: Eleições nos EUA 2012

 

O grande derrotado neste pleito é Rick Santorum, que após ter conquistado uma surpreendente segunda colocação em Iowa, a apenas oito votos de Romney, teve apenas 10% dos sufrágios em New Hampshire.

Com 50% dos votos apurados, Romney tinha 37,3% dos votos, a uma grande distância de seu imediato perseguidor, o congressista Ron Paul, grande ídolo da corrente libertária republicana, que alcançava 23,4%.

O ex-governador de Utah Jon Huntsman, com 17,3% dos votos, mantinha o terceiro lugar, o que permite a continuação de sua campanha na próxima reunião eleitoral, a Carolina do Sul no próximo dia 21.

Por outro lado, ao menos a princípio, o resultado não dará o impulso necessário para que Huntsman deixe o último posto nas pesquisas em âmbito nacional.

Muito atrás aparecem o ex-presidente da Câmara de Representantes Newt Gingrich, com 10%, e Santorum.

O governador do Texas, Rick Perry, que foi o penúltimo no primeiro passo da corrida eleitoral - os caucus de Iowa na semana passada - e praticamente desistiu de fazer campanha em New Hampshire, fica em último lugar desta vez ao receber apenas 0,7% dos votos.

Um exultante Romney comemorou a vitória com seus simpatizantes no estado: "esta noite fizemos história!".

O ex-governador, que há quatro anos foi derrotado neste mesmo estado por John McCain, em um golpe fatal para suas aspirações presidenciais na época, usou seu discurso após a vitória para atacar o presidente Barack Obama.

Romney criticou o fato de Obama tomar como referência o "modelo de bem-estar" europeu e assegurou que, se eleito presidente, voltará ao modelo de transformar os Estados Unidos em uma "próspera terra de oportunidades".

"Obama se fixa nas capitais europeias, enquanto nós nos inspiramos nas cidades e povos americanos", disse o candidato.

Por sua parte, Paul assegurou que ao obter o segundo posto, após o terceiro lugar em Iowa, foi aberto o caminho rumo a "uma revolução eleitoral para reinstaurar a liberdade".

Já Huntsman, cuja viabilidade dependia de seu resultado em New Hampshire, compareceu diante de seus partidários com o anúncio de "seguimos rumo à Carolina do Sul".

Com o novo triunfo, Romney se transforma no primeiro candidato republicano nos últimos tempos a ganhar tanto em Iowa como em New Hampshire, e se consolida como o grande favorito para ficar com a candidatura de seu partido e disputar a Presidência com Obama em novembro.

Seu triunfo, no entanto, é menos contundente que o de McCain há quatro anos, com 3% menos de margem, e agora terá que concorrer em um estado que, a priori, não lhe será tão propício.

Se em New Hampshire Romney jogava praticamente "em casa", por ser um estado vizinho de sua Massachusetts, a Carolina do Sul é um estado muito mais tradicionalista, onde as propostas conservadoras de aspirantes como Perry e Santorum podem encontrar terreno mais fértil.

Ainda assim, as pesquisas o têm como favorito na Carolina do Sul, apesar de não empolgar os eleitores.

As enquetes também o favorecem na Flórida, o primeiro estado de ampla população hispânica que irá às urnas nesta temporada de primárias.

Na reunião desta terça-feira, a segunda do calendário eleitoral americano, os aspirantes republicanos disputam 12 delegados à convenção que será realizada na Flórida em agosto para oficializar o nome do candidato republicano que enfrentará o presidente Barack Obama nas eleições presidenciais de novembro. 

 

Tudo o que sabemos sobre:
eleicoes-nos-euaRomney

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.