Romney vira alvo em debate republicano à casa Branca

Washington, 8 (AE) - O ex-governador de Massachusetts e mais forte pré-candidato republicano à presidência dos EUA, Mitt Romney, foi atacado por seus rivais e companheiros de partido durante um debate ocorrido no Estado de New Hampshire e televisionado pela NBC.

Agência Estado

08 de janeiro de 2012 | 18h57

O ex-presidente da Câmara dos Representantes norte-americana, Newt Gingrich, disse em determinado momento que as afirmações da campanha de Romney sobre o ex-governador não ser um político de carreira são "pura bobagem", enquanto o ex-senador de Pensilvânia, Rick Santorum, acusou-o de não ter capacidade para perpetuar os valores do Partido Republicano, citando o histórico de decisões relativamente moderadas de Romney na política.

Santorum perguntou por que Romney não havia tentado se reeleger como governador de Massachusetts após seu primeiro mandato. Momentos depois, Gingrich reclamou que Romney usou mais tempo do que deveria para responder.

Na terça-feira, os republicanos de New Hampshire vão escolher quem desejam ver na disputa pela Casa Branca com o atual presidente norte-americano, o democrata Barack Obama, em novembro. Romney é o favorito no Estado, onde possui uma casa de veraneio e é bastante conhecido por causa de seu trabalho em Massachusetts, Estado vizinho.

Os demais pré-candidatos republicanos, que em geral defendem políticas mais conservadoras, pretendem diminuir a vantagem de Romney antes de a disputa ser deslocada para o sul dos EUA, onde devem ganhar força por causa do caráter tradicionalista dos eleitores.

A questão de qual republicano é o mais forte para concorrer com Obama tornou-se uma questão central na disputa interna do partido pela candidatura à presidência. O atual presidente norte-americano está vulnerável na busca por seu segundo mandato por causa da fraqueza na economia dos EUA e do desemprego elevado.

Durante o debate, Romney não ficou apenas na defensiva. Ele comentou que ex-governador de Utah, Jon Huntsman, outro pré-candidato republicano, não está apto a concorrer com Obama porque trabalhou para o democrata como embaixador na China.

Huntsman rebateu. "Só quero lembrar às pessoas de New Hampshire e dos EUA que ele me criticou enquanto estava arrecadando dinheiro porque servi ao meu país na China sob o comando de um democrata, assim como meus dois filhos estão fazendo na marinha. Eles não estão questionando a filiação política do presidente."

Quando Romney novamente o criticou por aceitar o cargo de embaixador, Huntsman contra-atacou: "Esse país está dividido por causa de atitudes como essa."

Huntsman não fez campanha em Iowa, onde aconteceu a primeira prévia da disputa republicana pela candidatura à Casa Branca. Ele deve ter mais sucesso em New Hampshire porque as primárias do Estado são abertas a eleitores que se declaram independentes. Em Iowa, o processo é dominado por republicanos.

Romney venceu a disputa em Iowa por oito votos de diferença em relação a Santorum. O deputado Ron Paul, do Texas, ficou em terceiro lugar. A deputada Michele Bachmann, que conseguiu a sexta colocação, desistiu da corrida. O governador do Texas, Rick Perry, também teve um desempenho fraco em Iowa, mas continuou em campanha.

Após a primária em New Hampshire, a briga republicana passará para a Carolina do Sul. A disputa continuará até junho por meio de prévias estaduais e em agosto, durante a convenção nacional do Partido Republicano, na Flórida, o nome do candidato oficial do partido será divulgado. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAeleições

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.