Russell Klika / Exército dos EUA / John F. Kennedy Special Warfare Center and School / Reuters
Russell Klika / Exército dos EUA / John F. Kennedy Special Warfare Center and School / Reuters

Ross Perot, duas vezes candidato à presidência dos EUA, morre aos 89 anos

Bilionário da indústria de computadores lutava havia cinco meses contra leucemia; nas eleições americanas de 1992, obteve a maior porcentagem para um candidato independente em 80 anos

Redação, O Estado de S.Paulo

09 de julho de 2019 | 15h44

WASHINGTON - Ross Perot, bilionário da indústria de computadores e duas vezes candidato à presidência dos Estados Unidos, morreu aos 89 anos na cidade de Dallas, no Texas, informou nesta terça-feira, 9, a família do político. Ele lutava havia cinco meses contra leucemia.

"Um verdadeiro patriota americano e um homem de visão, princípios e profunda compaixão, ele tocou as vidas de inúmeras pessoas por meio de seu apoio inabalável aos militares e veteranos e de seus esforços de caridade", acrescentou o comunicado da família do político.

De acordo com o porta-voz da família, James Fuller, o magnata foi diagnosticado com leucemia em fevereiro, e uma infecção secundária em março quase acabou com sua vida já naquela ocasião.

Perot, cujas biografias sempre destacaram o fato de ele ter sido um multimilionário que se construiu sozinho, se tornou um dos homens mais ricos dos EUA ao fundar, em 1962, a empresa de serviços informáticos Electronic Data Systems Corp, sendo um dos pioneiros desse setor.

Posteriormente, vendeu sua companhia à General Motors por US$ 2,5 bilhões. Criou em 1988 outra companhia, a Perot Systems, que liderou até 2004 quando cedeu o comando a seu filho e passou a ocupar o cargo de presidente honorário.

Em 1992, Perot entrou para a política nacional ao se lançar como candidato independente contra o então presidente republicano, George H.W. Bush (1989-1993),  e o candidato democrata Bill Clinton (1993-2001).

O multimilionário texano obteve cerca de 19% dos votos - a maior porcentagem para um candidato independente em 80 anos. As eleições daquele ano foram vencidas por Clinton.

O amplo apoio recebido por Perot fez com que os republicanos lhe culpassem pela derrota de Bush, que não conseguiu ser reeleito.

Quatro anos mais tarde, em 1996, Perot voltou a se candidatar às eleições presidenciais com um programa ultraconservador à frente do Partido da Reforma dos EUA e recebeu 8,4% dos votos. Perot e sua mulher, Margot, tiveram 5 filhos e 16 netos. / AFP e EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.