Rosto do franco-atirador ainda é desconhecido

Policiais que investigam a série deataque do misterioso franco-atirador, que já matou nove pessoase feriu duas nos arredores da capital americana, disseram nesta quarta-feira que os dados fornecidos até agora por testemunhas nãopermitem a confecção de um retrato falado do suspeito. Depois doataque de segunda-feira à noite, quando o atirador cometeu seunono assassinato, várias pessoas disseram tê-lo visto em ação,aumentando a esperança da polícia de finalmente identificá-lo.Mas, segundo a porta-voz da polícia do Condado de Montgomery,Nancy Demme, as descrições que essas testemunhas fizeram doassassino eram tão díspares que não permitiram a elaboração deum desenho confiável. "Infelizmente, por causa da escuridão e da distância, astestemunhas não puderam ver bem o homem", disse Nancy. "Assim,os peritos não puderam fazer um retrato." Neste último ataque, que causou a morte de Linda Franklin -uma funcionária do FBI -, várias testemunhas disseram também teranotado placas do veículo supostamente usado pelo atirador, umavan Chevrolet Astro ou Ford Econoline. Os porta-vozes dosinvestigadores não deram indicações sobre o quanto esses dadospoderiam ajudar para a captura do assassino. Além das nove mortes, o atirador de Washington causou tambémferimentos em duas pessoas - uma das quais um garoto de 13 anosatingido na frente de sua escola e internado em estado grave.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.