Rove não apagou e-mails para reter informação, diz advogado

Um advogado de um funcionário graduado da Casa Branca desmentiu nesta sexta-feira, 13, as especulações de que Karl Rove, o principal conselheiro do presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, teria deletado propositalmente seus próprios e-mails de um servidor mantido pelos republicanos. Segundo ele, Rove acreditava que as mensagens estavam sendo gravadas de acordo com a lei. Portanto, Rove não deletou e-mails para esconder informação, disse.A questão ganhou vulto porque a Casa Branca e o Comitê Nacional Republicano disseram que podiam ter perdido e-mails de Rove e de outros funcionários da administração. O comitê de congressistas que investigam a demissão de oito procuradores federais quer os e-mails de Rove.O mistério do desaparecimento dos e-mails de Rove é apenas parte do furor que foi desencadeado com a demissão de oito promotores federais, ação que ameaça o emprego do secretário de Justiça, Alberto Gonzales, e jogou o Departamento de Justiça na confusão.Por enquanto, Bush está apoiando seu amigo de longa data do Texas, que gastou semanas em discussões e explicações na sua sala de conferências no quinto andar do Departamento de Justiça, ao se preparar para contar sua história ao Comitê Judicial do Senado, na próxima terça-feira. Rove "acreditava desde o início que os e-mails estavam sendo arquivados" disse o seu advogado, Robert Luskin.O procurador que investiga o caso da espiã Valerie Plame viu e copiou vários dos e-mails de Rove, depois de fazer uma busca no seu notebook, seu computador de casa e também dos computadores portáteis que Rove usa na Casa Branca ou no Comitê Nacional Republicano, disse Luskin. O procurador Patrick Fitzgerald também fez uma intimação judicial para ver os e-mails da Casa Branca e da campanha de reeleição de Bush. "Nunca houve uma sugestão que Fitzgerald não tivesse nada menos que uma coleção completa dos e-mails", disse Luskin.Segundo ele, Rove deletou e-mails como todas as pessoas deletam mensagens nas caixas de correio eletrônico. Ele afirma que Rove não tinha a menor idéia de que os e-mails estivessem sendo deletados do servidor, um computador central de grande porte que gerencia as informações no Comitê Nacional Republicano.Os e-mails desaparecidos de Rove levaram a uma das mais pesadas questões políticas entre a administração Bush e os democratas no Congresso. Os democratas questionam se algum funcionário graduado da Casa Branca mandou e-mails sobre assuntos oficiais usando o servidor e depois deletou as mensagens, em violação à lei - para garantir sigilo.A Casa Branca afirma que está fazendo um "honesto e agressivo" esforço para recuperar as mensagens. Luskin afirma que Rove não sabia que ao deletar e-mails da sua caixa, as mensagens automaticamente eram excluídas do servidor. O software foi modificado em 2005.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.