RSF exige julgamento para assassino de jornalista filipino

Fernando Lintuan, comentarista de uma emissora, foi baleado no Natal; é o 5º profissional morto em 2007

Efe,

27 de dezembro de 2007 | 04h01

A organização Repórteres Sem Fronteiras (RSF) exigiu nesta quinta-feira, 27, à presidente filipina, Gloria Macapagal Arroyo, que os autores do assassinato de um jornalista no país sejam levados à Justiça.   Fernando Lintuan, comentarista de uma emissora de Davao, mil quilômetros ao sul da capital, foi baleado no último dia 25 de dezembro, Natal. Foi o quinto jornalista assassinado este ano nas Filipinas.   Segundo a imprensa filipina, o prefeito da cidade, Rodrigo Duterte, insinuou que o general da reserva Jovito Palparan poderia estar envolvido no caso.   Ele foi visto há duas semanas em Davao, supostamente atuando como assessor militar de um congressista.   O ex-militar negou qualquer vinculação com a morte de Lintuan, argumentando que "Davao é muito longe". "Não conheço as pessoas dali", acrescentou.   Palparan, apelidado de "Carniceiro de Mindoro", é acusado por várias ONGs de quase 200 assassinatos, desaparecimentos e outras violações dos direitos humanos entre 2001 e 2006. Mas nunca foi processado por esses crimes.   Arroyo prometeu em várias ocasiões acabar com os assassinatos de jornalistas. Foram 54 desde que ela chegou acedeu ao poder, em 2001, segundo dados da União Nacional de Jornalistas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.