Ruanda inaugura primeira rádio privada em 10 anos

A primeira rádio particular criada em Ruanda desde o genocídio de 1994 foi ar neste sábado, uma década depois de outra estação de propriedade privada ter sido usada para incitar o massacre. Hoje, os sete apresentadores da Rádio 10 FM foram ao ar e anunciaram que sua missão é entreter e informar. Em 1994, um regime extremista controlado pela etnia hutu orquestrou o assassinato de mais de 500.000 pessoas, em sua maior parte da etnia minoritária tutsi. ?Não podemos repetir o erro?, disse Eugene Nyagahene, empresário que investiu US$ 125.000 na rádio, que transmitirá em francês, inglês e quiniaruanda, a língua predominante no país onde a maioria da população é analfabeta e depende do rádio. Durante o genocídio, a primeira emissora privada do país, a RTLM, incitou os hutus a matar tutsis. Dois dos principais responsáveis pela RTLM e o editor de um jornal impresso foram condenados pelo tribunal da ONU.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.