Ruandeses votam em sua primeira eleição presidencial

Pela primeira vez desde o genocídio de 1994, que custou a vida a cerca de 1 milhão de pessoas, os ruandeses foram às urnas para escolher o presidente da República, tendo como franco favorito o atual chefe do governo Paul Kagame. "A votação se desenvolveu de forma bastante organizada e em clima sereno", disse o chefe da comissão eleitoral, Crysologue Karangwa. "Ocorreram apenas um ou dois incidentes isolados e sem gravidade", acrescentou.Segundo ele, 80% dos 3,9 milhões de eleitores cadastrados compareceram aos postos de votação. "Foi um êxito em termos de organização e comparecimento". A divulgação dos primeiros resultados da apuração estava prevista para as 23h00 de hoje (horário de Brasília).Desde as primeiras horas do dia, os eleitores já formavam filas diante dos postos de votação espalhados por Ruanda. Localizado no centro da África, o país é habitado por hutus (85%, dos 8,2 milhões de ruandeses), tutsis (14%) e pigmeus twa. Kagame, o favorito das pesquisas, chefiava a Frente Patriótica Ruandesa que pôs fim ao genocídio. Combateu os hutus que, com o objetivo de implantar no país o "pode hutu", chacinaram 800 mil tutsis e hutus moderados, em meados da década passada.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.