Rumo a New Hampshire, rivais atacam Santorum

Segundo colocado no caucus de Iowa, ex-senador tentará atrair votos dos conservadores nas próximas duas prévias do Partido Republicano

GUSTAVO CHACRA , CORRESPONDENTE / NOVA YORK, O Estado de S.Paulo

06 de janeiro de 2012 | 03h04

Dois dias depois da prévia de Iowa, os pré-candidatos republicanos lançaram uma série de anúncios atacando seus adversários nas campanhas para a primária de terça-feira em New Hampshire e para a do dia 21 na Carolina do Sul. Diante do favoritismo de Mitt Romney, eles lutam para permanecer na disputa e manter as chances de enfrentar Barack Obama em novembro.

Segundo colocado no caucus, Rick Santorum tenta aproveitar seu surpreendente desempenho para atrair os votos conservadores nas duas próximas prévias. No dia seguinte à votação em Iowa, o ex-senador conseguiu arrecadar mais de US$ 1 milhão. "No começo da campanha em New Hampshire, estávamos 39 pontos porcentuais atrás de Romney. Esperem e verão qual será a diferença na terça", disse.

A própria campanha de Romney acredita em um bom resultado de Santorum em New Hampshire, apesar de o Estado ter um perfil bem mais liberal do que o conservador Iowa. "Acho que Santorum se sairá muito bem", disse o assessor Tom Rath.

O recente sucesso de Santorum já começou a produzir uma onda de ataques contra o pré-candidato em anúncios de seus rivais. Seu histórico no Senado e mesmo declarações racistas, islamofóbicas e homofóbicas vêm sendo difundidas na imprensa.

O ex-embaixador de Obama na China Jon Huntsman nem sequer fez campanha em Iowa apenas para se concentrar em New Hampshire. Em comício em uma fábrica do Estado, o diplomata afirmou que seu esforço pode trazer resultados assim como ocorreu com Santorum na prévia de Iowa.

A campanha de Romney tenta se blindar contra Huntsman por ele ser diferente dos outros rivais, bem mais conservadores. Apesar de estar na lanterna, o ex-embaixador tem popularidade entre os independentes por suas posições moderadas, um bom histórico na administração de Utah e amplo conhecimento de política externa.

O libertário Ron Paul confia nos jovens voluntários para se manter por mais meses nas primárias, difundindo suas ideias de acabar com o Federal Reserve (FED, Banco Central dos EUA) e sua política externa isolacionista. Newt Gingrich, insatisfeito com os ataques que sofreu em propagandas de grupos simpatizantes de Romney, adotou um tom mais duro contra seus rivais. Ele tentará na Carolina do Sul reverter o quadro negativo da última semana.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.