Rumsfeld: EUA não reduzirão presença militar na Ásia

O secretário de Defesa dos Estados Unidos, Donald Rumsfeld, descartou neste sábado a possibilidade de o paísreduzir sua presença militar na Ásia e no Pacífico. O alto funcionário do Governo americano afirmou ainda que Washington pretende modernizar suas alianças na região.As declarações foram feitas durante o discurso que Rumsfeld fez em uma conferência sobre segurança que acontece em Cingapura, dias depois de o ministro da Defesa da Indonésia, Juwono Sudarsono, ter criticado os métodos empregados pelos Estados Unidos na luta contrao terrorismo."Os Estados Unidos são e sempre serão uma nação do Pacífico. Devemos e estaremos envolvidos nesta parte do mundo", disse o secretário americano na reunião, da qual participam ministros da Defesa e líderes militares de mais de 20 países da Ásia, do Pacífico e de algumas potências do Ocidente.Rumsfeld considerou positivo o aumento dos vínculos entre as nações asiáticas com as quais os EUA mantêm alianças e relações.Nesse sentido, afirmou que seu país observa "uma expansão das redes de segurança e de cooperação na região (...) com os Estados Unidos como sócio": "Este é um esquema ao qual damos boas-vindas", acrescentou.O secretário disse que os EUA apóiam as "instituições eatividades multilaterais, como a conferência de Cingapura, o Fórum Regional de Segurança da Asean (Associação de Nações do Sudeste Asiático) e o Fórum de Cooperação Econômica Ásia-Pacífico (Apec)".Essas agências, disse Rumsfeld, "lideram o caminho": "Não são alianças militares como a OTAN, que produz acordos vinculativos, mas proporcionam um terreno para o diálogo entre as diversas nações."O ministro da Defesa da Indonésia disse esta semana à imprensa local que iria pedir aos EUA que se abstivesse de intervir nos esforços regionais contra o terrorismo."A luta contra o terrorismo na Indonésia e em outros países da Asean deveria ser tratada pelos respectivos países e não ter como base a vontade dos EUA", disse Sudarsono ao jornal local The Straits Times.Rumsfeld, que viajará para a Indonésia entre terça e quinta-feira da semana que vem, discutirá com altos funcionários do país questões como a segurança na Península de Malaca e planos de cooperaçãomilitar e contra o terrorismo.A Asean é integrada por Brunei, Birmânia, Camboja, Filipinas, Indonésia, Laos, Malásia, Cingapura, Tailândia e Vietnã.O ministro indonésio acrescentou que dirá "aos EUA que lutar contra o terrorismo utilizando seus métodos só irá piorar a situação, já que vai gerar mais raiva e antipatia contra a América".Durante o tempo que passou em Cingapura, Donald Rumsfeldreuniu-se com os ministros da Defesa da Austrália, Brendan Nelson, e da Índia, Pranab Mukherjee, entre outros.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.