Rumsfeld não promete retirada de tropas do Iraque este ano

O Secretário de Defesa americano Donald H. Rumsfeld afirmou nesta quarta-feira em discurso no Comitê do Senado que não pode prometer uma retirada significativa das tropas americanas no Iraque até o fim do ano. Pressionado senadores, o chefe do Pentágono disse que espera uma grande retirada de soldados este ano mas não pode assegurar o que pode ocorrer. "É obvio nosso desejo, o desejo dos soldados e do povo iraquiano", disse Rumsfeld ao Comitê. Como geralmente faz, Rumsfeld afirmou que o presidente Bush irá tomar sua decisão final sobre quando irá retirar as forças depois que comandantes militares recomendarem a redução, baseados nas condições do Iraque. Tais condições incluem a habilidade das forças iraquianas e o progresso político no país. Pressão Testemunhando ao lado de Rumsfeld, o chefe adjunto de Gabinete, o general Peter Pace, disse que as tropas não poderão ser retiradas completamente de nenhuma das 18 províncias dentro dos próximos três meses, apesar de o clima ser considerado calmo na região. Democratas, em particular, pressionaram Rumsfeld e Pace sobre os prospectos para retirada das tropas e muitos colocaram em dúvida as alegações de progressos administrativos e de treinamento de forças iraquianas. Legisladores republicanos e democratas estão ansiosos para que os soldados americanos voltem para casa, particularmente quando enfrentam eleições congressionais em setembro. Pesquisas mostram que a maioria dos eleitores não apóia a guerra na medida que as mortes e os gastos aumentam. A maioria republicana no Senado demonstrou este sentimento no ano passado reduzindo o papel americano no Iraque, ao votar que 2006 deve ser um ano de transição para o país. Desde a invasão em março de 2003, as forças americanas foram reduzidas de 160 mil, durante as eleições iraquianas, para 132 mil.Mais de 2,400 soldados americanos morreram no Iraque. O Serviço de Pesquisa Congressional estima que o conflito tenha custado US$261 bilhões aos cofres americanos, não incluindo os pedidos do presidente Bush para mais algumas dezenas de bilhões para este ano e para o próximo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.