Rumsfeld nega possibilidade de torturar líder da Al-Qaeda

Qualificando reportagens publicadas pela imprensa como "erradas e irresponsáveis", o secretário de Defesa dos Estados Unidos, Donald H. Rumsfeld, negou terça-feira que oficiais norte-americanos estariam considerando a tortura como uma forma de obter informações de Abu Zubaydah, um líder capturado da Al-Qaeda."Reportagens sobre esta possibilidade são erradas, não apuradas, (a tortura) não está acontecendo e não acontecerá", disse ele. "Ele será adequadamente interrogado por pessoas apropriadas que sabem como fazer essas coisas."Rumsfeld referia-se a reportagens segundo as quais Zubaydah, capturado na quinta-feira passada no Paquistão, seria enviado a um terceiro país que utiliza meios de interrogatório mais duros que os permitidos nos Estados Unidos. "Vi na televisão e isto é errado e irresponsável", reclamou o secretário.Rumsfeld negou-se a informar o local onde o líder da Al-Qaedaestá sendo mantido ou quem o está interrogando, mas afirmou queZubaydah está sob custódia de uma agência de segurançanorte-americana, sem especificar qual delas."Seremos responsáveis pelos interrogatórios - não nós oDepartamento de Defesa, mas nós os Estados Unidos da América",garantiu Rumsfeld.Considerado o mais importante líder da Al-Qaeda a sercapturado na guerra dos EUA contra o terrorismo, Zubaydah é umdos estrategistas operacionais de Osama bin Laden e, acredita-se estaria planejando novos atentados.Por ser um intermediário entre o círculo fechado de Bin Ladene células terroristas estrangeiras, Zubaydah deve saber nomes,reconhecer rostos e identificar locações terroristas em todo omundo.Segundo as autoridades norte-americanas, caso ele colabore,poderá fornecer informações úteis para prevenir futuros ataquesterroristas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.