Rumsfeld quer estudar armas nucleares fracas

O secretário norte-americano da Defesa, Donald Rumsfeld, defendeu terça-feira a necessidade de um estudo sobre as armas nucleares de fraca potência, afirmando que os Estados Unidos não têm a intenção de produzi-las ou utilizá-las.A administração do presidente George W. Bush pediu ao Congresso para levantar uma disposição legislativa, adotada em 1993 e conhecida sob o nome de emenda Spratt-Furse, que proíbe a pesquisa e desenvolvimento de armas nucleares com um alcance de menos de cinco quilômetros.Questionado sobre a necessidade do estudo, Donald Rumsfeld indicou que os Estados Unidos pretendem descobrir as capacidades destas armas, em particular pela perfuração e penetração dos "bunkers"subterrâneos."Propusemos que a proibição absoluta de estudar armas de forte penetração seja levantada, pois temos a intenção de estudar uma variedade de tipos de tais penetradores por uma boa razão", afirmou o secretário da Defesa numa coletivade imprensa no Pentágono.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.