R.Unido está disposto a mandar inspetores para Síria

O ministro de Relações Exteriores do Reino Unido, William Hague, disse que inspetores britânicos podem ser enviados para a Síria com o objetivo de ajudar a identificar as armas químicas no país. Por outro lado, Hague afirmou que soldados britânicos não devem ser mandados ao país.

AE, Agência Estado

17 de setembro de 2013 | 09h34

Falando na rádio BBC, o ministro disse que a confirmação feita na segunda-feira pela ONU de que encontraram evidência do uso de armas químicas na Síria precisa ser abordada, e o Reino Unido está disposto a ajudar.

"[Bashar] Assad precisa escolher se admite que tem armas químicas ou não. E eu acho que houve um avanço em relação a onde estávamos algumas semanas atrás", disse Hague. "Nós estaremos dispostos a enviar especialistas britânicos para a Síria... Mas, não vamos mandar soldados britânicos".

Na segunda-feira, a ONU confirmou o uso de armas químicas em uma ofensiva em agosto, mas não disse quem as usou. Segundo Hague, as munições encontradas no local do ataque "só poderiam ter vindo do regime de Assad". "Ninguém acredita que a oposição tem armas químicas".

Ainda que o debate sobre a forma de impedir o uso de armas químicas na Síria continue, a autoridade do Reino Unido também declarou que agora é a hora de começar a falar sobre um processo de paz mais amplo no país.

"Nós sempre deixamos claro que a resposta a armas químicas é sobre armas químicas, não se trata de uma mudança de regime", disse Hague. "Nós temos que... fazer tudo o que pudermos para relançar o processo político mais amplo e tentar" avançar com a organização de uma conferência de paz. Fonte: Dow Jones Newswires.

Mais conteúdo sobre:
reino unidosíriainspetores

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.