Russa é destituída do título de Miss Universo

O mais tradicional concurso de beleza do mundo, ainda que não tão prestigiado como antigamente, viveu nesta terça-feira um dos dias mais inusitados de seus 52 anos de história. A panamenha Justine Pasek, de 23 anos, foi coroada como a nova Miss Universo, no lugar da russa Ozana Fedorova, destituída do título ganho em maio por, segundo os organizadores, não cumprir as obrigações de uma rainha da beleza. A nova titular do posto não quis fazer muitos comentários sobre a antecessora, mas declarou estar muito feliz, apesar da condição em que herdou a coroa, e desejou sorte à colega russa. ?Desejo-lhe o melhor?, disse na entrevista coletiva em Nova York, onde recebeu uma tiara de perólas e diamantes do milionário Donald Trump, um dos donos do concurso de misses. Segundo Trump, a organizadora do concurso, Paula Shugart, deu a oportunidade à Fedorova de renunciar, mas não teve outra alternativa que não fosse a de destituí-la. A russa de 24 anos afirmou, no entanto, em entrevista a uma emissora de tevê de seu país, que cedeu o seu título espontâneamente. ?As responsabilidades de uma rainha da beleza são maravilhosas, mas minhas prioridades são meus estudos e minha carreira na Rússia?, disse Ozana (na foto à direita). ?Sei que seguirei sendo a Miss Universo para os russos e para mim?. Paula Shugart e Trump disseram que a russa perdeu a coroa por não cumprir suas obrigações. Segundo o regulamento do concurso, durante os 12 meses de ?reinado? a vencedora tem de cumprir uma série de compromissos que vão desde eventos beneficentes a sessões de fotos. Federova teria faltado a vários eventos e, segundo Trump e Shugart, ?não parecia muito disposta a sair da Rússia?.Eles negaram que a destituição tenha acontecido por Ozana Fedorova estar casada ou grávida, como chegou a se especular. ?Não há evidências sobre isso?, disseram. A russa também negou: ?Ter uma família é um sonho para mim, mas nunca me casei e não tenho filhos. Espero que este sonho se realize no futuro?. Segundo os organizadores, a moça já devolveu a tiara de diamantes e pérolas que lhe foi confiada quando ganhou o concurso e que vale 20 mil dólares. A tiara mais valiosa, de 800 pedras, que a vencedora ostenta somente quando ganha o concurso, fica em poder dos organizadores. Justine Pasek, a primeira panamenha a ocupar o posto, agora ficará com o título até maio do próximo ano, quando entregará a coroa à sucessora, na final do concurso 2003, no Panamá.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.