Rússia abandona tratado de Forças Armadas da Europa

A iniciativa foi justificada como reação às "extraordinárias circunstâncias que afetam a segurança da Federação Russa e exigem a adoção de medidas inadiáveis"

EFE

14 Julho 2007 | 06h48

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, assinou neste sábado um decreto pelo qual o país abandona o tratado das Forças Armadas Convencionais na Europa (FACE). A iniciativa foi justificada como reação "às extraordinárias circunstâncias que afetam a segurança da Federação Russa e exigem a adoção de umas medidas inadiáveis", diz a nota oficial divulgada pelas agências russas. Putin havia anunciado pela primeira vez a possibilidade de uma moratória sobre o cumprimento do tratado em abril passado, na sua mensagem sobre o estado da nação. Ele suspende assim um dos mais importantes tratados de desarmamento da Guerra Fria. O acordo foi assinado em 19 de novembro de 1990, um ano antes da desintegração da União Soviética. Na época, Mikhail Gorbachov era o líder soviético e George Bush, pai do atual presidente americano, ocupava a Casa Branca. O Ministério de Relações Exteriores comunicará aos países signatários do tratado a decisão da Rússia. O Kremlin acusa a Otan de não cumprir o FACE e tinha proposto convocar uma conferência extraordinária dos signatários. Em resposta, a secretária de Estado americana, Condoleezza Rice, tinha pedido que a Rússia não abandonasse o tratado, que considerou "um dos mais importantes do século XX". A decisão está relacionada aos planos americanos de posar elementos de seu escudo antimísseis na Europa Oriental, que a Rússia considera uma "ameaça direta" à sua segurança.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.