Rússia acusa a Otan de envio ilegal de armas à Geórgia

O ministro da Defesa russo, Serguei Ivanov, acusou nesta sexta-feira os "novos países da Otan" de venderilegalmente armas da era soviética à Geórgia, em um Conselho entreOtan e Rússia dominado pelo conflito diplomático envolvendo Moscou eTbilisi. Em entrevista coletiva, Ivanov disse que tinha exposto suas"preocupações justificadas" aos ministros aliados, e acusou essespaíses - sem citar nomes - de "pirataria", por violarem um acordoque proibia a nova exportação das armas. "Não darei nomes em público", disse, mas acrescentou que na Otansão conhecidos como o grupo de "novos países", em uma clarareferência à Estônia, Letônia, Lituânia, Bulgária, Romênia,Eslováquia e Eslovênia, que entraram na Aliança em 2004. Ivanov acrescentou que estes países "violam as leisinternacionais" e "desacreditam os certificados" de venda de armas,e afirmou que os ministros da Defesa dos países "sérios" da Otanestão plenamente de acordo neste ponto. O conflito desencadeado pela detenção na quarta-feira de quatromilitares russos na Geórgia acusados de "espionagem" foi o centrohoje da reunião de Ivanov com os ministro da Aliança, e levou osecretário-geral da Otan a pedir "moderação" a ambas as partes. Ivanov acusou a Geórgia de "provocações" para tentar resolver"pela via militar" os conflitos separatistas pendentes da Abkházia eda Ossétia do Sul, e "assim poder fazer parte da Otan". "A Geórgia elegeu a via militar para resolver os problemas daAbkházia e da Ossétia (do Sul), e esse é todo o problema", disse oministro russo, que denunciou Tbilisi por violar todos os acordosalcançados com essas regiões separatistas, onde a Rússia mantémforças de paz. A Otan decidiu neste mês oferecer um "diálogo intensificado" àGeórgia, um passo importante para uma eventual integração, que -segundo Moscou - terá impacto negativo sobre a frágil situação noCáucaso. No entanto, Ivanov disse nesta sexta-feira que Moscou não está preocupadodiante da perspectiva de uma futura entrada da Geórgia na AliançaAtlântica. "É o direito soberano da Geórgia decidir se quer ou não sermembro da Otan", disse o ministro russo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.