Rússia acusa Geórgia por tiroteio perto de presidentes

O ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, sugeriu hoje que o governo da Geórgia, apoiado pelos Estados Unidos, se encontra por trás de um tiroteio que ocorreu ontem perto da carreata que transportava os presidentes da Geórgia, Mikhail Saakashvili, e da Polônia, Lech Kaczynski. Ninguém ficou ferido no incidente, que ocorreu em uma área de fronteira entre a Geórgia e sua província separatista da Ossétia do Sul.Saakashvili culpou os soldados russos pelos disparos, escutados quando ele e o polonês Kaczynski viajavam perto da fronteira. Para o chanceler russo, os disparos não foram feitos a partir de posições de soldados russos ou da Ossétia do Sul, e sim partiram dos próprios georgianos, a fim de desacreditar o governo russo e o governo da Ossétia do Sul."Esta foi uma provocação clara", disse Lavrov na noite de ontem em Lima, Peru, onde participava do fechamento da cúpula do fórum de Cooperação Econômica da Ásia-Pacífico (Apec) junto ao presidente russo, Dmitry Medvedev.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.