Rússia adverte que poderá mudar sua posição sobre o Irã

A Rússia poderá rever a sua posição nas negociações nucleares com o Irã como retaliação às sanções do Ocidente, impostas depois do agravamento da crise com a Ucrânia, advertiu um diplomata russo nesta quarta-feira.

MOSCOU, 19 (AE), Agência Estado

19 de março de 2014 | 19h09

O vice-ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Ryabkov, disse que o seu país não queria usar as negociações nucleares iranianas como uma "moeda de troca", mas poderá ter de fazê-lo em resposta às sanções dos Estados Unidos e da União Europeia, anunciadas no início da semana.

"Nós não gostaríamos de usar essas negociações como um elemento do jogo, tendo em vista que estão na mesa sentimentos de diversas nações, mas se os governos de Washington e Bruxelas nos forçarem a isso, nós vamos tomar medidas de retaliação aqui também", afirmou Ryabkov à agência russa Interfax.

O vice-ministro não deu mais detalhes de como a posição do governo de Vladimir Putin poderia mudar.

Ryabkov, que é o enviado da Rússia para mediar as negociações com o Irã, disse também que o governo de Moscou considera a "reunificação com a Crimeia" muito mais importante que os desenvolvimentos em torno do programa nuclear iraniano.

"A importância histórica do que aconteceu nos últimos dias sobre a reunificação da Crimeia com a Rússia é incomparável ao que estamos lidando com a questão iraniana", reforçou Ryabkov. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
RússiaIrãOcidente

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.