Rússia ainda não recebeu pedido de asilo de Snowden

O ex-agente da CIA procurado pelos EUA, Edward Snowden, ainda não solicitou asilo temporário na Rússia, apesar de ter prometido iniciar o processo na semana passada, segundo autoridades.

AE, Agência Estado

15 de julho de 2013 | 07h49

Snowden fez sua primeira aparição pública em quase três semanas na sexta-feira quando se encontrou com um grupo de ativistas russos e oficiais pró-Kremlin no aeroporto de Moscou, onde ele tem se abrigado desde 23 de junho.

No entanto, ele não fez nenhuma outra declaração pública e ainda não entrou com o pedido de asilo junto as autoridades russas. Snowden havia dito aos ativistas que faria a solicitação na sexta-feira.

O chefe do Serviço Federal de Migração da Rússia (FMS, na sigla em inglês), Konstantin Romodanovsky, disse a agências de notícias russas na segunda-feira que o pedido não tinha chegado ainda. "Não houve pedido de Edward Snowden até hoje", disse à Interfax.

Uma fonte no aeroporto Sheremetyevo disse que Snowden ainda tem um quarto reservado na zona de trânsito, mas ele também tem acesso a uma "sala de descanso especial para a equipe de plantão", segundo a Interfax.

"A segurança de Snowden está sendo garantida, tanto no hotel quanto nesta sala", disse a fonte, sem dar mais detalhes se tais precauções foram tratadas por uma empresa de segurança ou uma agência governamental.

O presidente russo, Vladimir Putin, disse neste mês que Snowden poderia pedir asilo na Rússia contanto que parasse de prejudicar os interesses dos EUA.

A condição inicialmente levou o ex-agente da CIA a retirar o seu pedido de asilo, mas, na sexta-feira, Snowden indicou que ele ainda queria se refugiar no país.

O jornalista Glenn Greenwald, que publicou uma série de histórias baseadas nos vazamentos de informações de Snowden no jornal Guardian, disse no fim de semana que o fugitivo tem mais informações para prejudicar o governo dos EUA que qualquer outra pessoa "na história dos Estados Unidos", mas optou por não publicá-las.

Washington reagiu fortemente à possibilidade de que Moscou poderia oferecer um porto seguro a Snowden.

"Oferecer uma plataforma de propaganda para Snowden contraria declarações anteriores do governo russo de neutralidade da Rússia", disse o porta-voz da Casa Branca, Jay Carney.

O presidente dos EUA, Barack Obama, falou com Putin por telefone na sexta-feira sobre questões, incluindo o caso de Snowden, disseram o Kremlin e a Casa Branca, mas nenhum detalhe foi divulgado. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
rússiasnowden

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.