Thierry Roge/Reuters
Thierry Roge/Reuters

Rússia apoiará reconhecimento do Estado palestino na ONU

Enviado de Moscou diz que votará a favor de 'qualquer proposta' apresentada na Assembleia Geral

Agência Estado

12 Setembro 2011 | 14h10

MOSCOU - A Rússia apoiará o pedido dos palestinos de reconhecimento de seu Estado na Organização das Nações Unidas (ONU) no final deste mês, afirmou o enviado russo à ONU em declarações divulgadas nesta segunda-feira, 12. Vitaly Churkin disse ao canal de notícias Rossiya-24 que o governo russo vai apoiar qualquer abordagem que Autoridade Palestina adotar em seus esforços para conseguir a filiação à ONU.

 

Veja também:

especialESPECIAL: As disputas territoriais no Oriente Médio

 

Churkin disse que os palestinos podem solicitar a filiação à ONU depois de conseguir uma recomendação favorável à medida com o Conselho de Segurança ou listar o apoio de pelo menos dois terços dos 193 países da Assembleia Geral. "O principal obstáculo (no Conselho de Segurança) serão os Estados Unidos, que não escondem o fato de que vetarão a resolução", disse Churkin.

 

Os palestinos vão precisar de 129 votos a favor na Assembleia Geral para serem aceitos como membros da ONU. Israel e os Estados Unidos se opõem à iniciativa palestina, dizendo que o Estado deve ser estabelecido por meio de negociações. "A Palestina já foi reconhecida por 125 países e há outros países que simpatizam com a causa", declarou Churkin. Segundo ele, Moscou apoia a criação do Estado palestino desde 1988.

 

"Nós votaremos a favor de qualquer proposta apresentada pelos palestinos. Mas eu devo dizer que não estamos fazendo pressão nesse sentido", afirmou.

 

A Rússia compõe, ao lado da ONU, dos Estados Unidos e da União Europeia (UE), o Quarteto para o Oriente Médio. Nos últimos anos, Moscou tentou ampliar sua influência sobre as decisões referentes à região. As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.