Rússia aprova anistia que beneficia Pussy Riot e ativistas da oposição

Decisão é vista como tentativa do Kremlin de acalmar críticas às vésperas de Olimpíadas de Inverno

O Estado de S. Paulo,

18 de dezembro de 2013 | 10h57

O Legislativo russo aprovou nesta quarta-feira um projeto de lei de anistia, apoiado pelo Kremlin, que deve libertar duas integrantes presas da banda punk Pussy Riot e encerrar o processo contra 30 ativistas do Greenpeace, entre eles o da bióloga brasileira Ana Paula Maciel, presa em um protesto contra exploração de petróleo no Oceano Ártico.

A Duma, a câmara baixa do Parlamento russo, aprovou a anistia por 446 votos a favor e nenhum contra. A medida também deve beneficiar vários manifestantes, presos durante manifestações contrárias ao presidente Vladimir Putin em maio de 2012, que também serão libertados.

A decisão é vista como uma tentativa do Kremlin de acalmar as críticas de defensores de direitos humanos antes dos Jogos Olímpicos de Inverno, que acontecem na cidade russa de Sochi, no ano que vem. / AP

Notícias relacionadas
    Tudo o que sabemos sobre:
    RússiaanistiaPussy RiotGreenpeace

    Encontrou algum erro? Entre em contato

    O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.