Rússia aprova propensão do Irã de aceitar acordo nuclear

A disposição iraniana de aceitar um acordo destinado a encerrar o impasse em torno de seu programa nuclear deve ser recebida com satisfação, declarou hoje o ministro das Relações Exteriores da Rússia, Serguei Lavrov. "Se o Irã está pronto para voltar ao acordo original, não podemos receber essa notícia de outra forma a não ser com satisfação", declarou o chanceler russo durante entrevista coletiva concedida hoje em Moscou.

AE, Agencia Estado

03 de fevereiro de 2010 | 12h02

O Reino Unido, por sua vez, reagiu com mais comedimento. Por meio de nota, a chancelaria britânica qualificou a notícia como "um sinal positivo, mas que não muda o fato" de que o Irã precisa participar de mais negociações sobre o tema com Alemanha, China, Estados Unidos, França, Inglaterra e Rússia.

No fim da noite de ontem, o presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, declarou que seu país não vê "nenhum problema" em enviar seu urânio ao exterior para passar por processo de enriquecimento - ponto-chave de um acordo costurado pela Organização das Nações Unidas (ONU) para desfazer o impasse.

Hoje, em Ancara, o ministro das Relações Exteriores do Irã, Manouchehr Mottaki, admitiu que o envio de urânio "poderia ajudar a construir confiança". Ao longo dos últimos meses, funcionários iranianos rechaçavam a hipótese de enviar seu urânio ao exterior para enriquecimento. Em janeiro, Lavrov lamentou a aparente rejeição iraniana ao acordo e advertiu que o mundo não esperaria para sempre pelo fim do impasse.

Programa nuclear

O enriquecimento de urânio é um processo essencial para a geração de combustível usado no funcionamento das usinas nucleares. Em grande escala, o urânio enriquecido pode ser utilizado para carregar ogivas atômicas. Os EUA e alguns de seus aliados suspeitam que o Irã desenvolva em segredo um programa nuclear bélico. O Irã sustenta que seu programa nuclear é civil e tem finalidades pacíficas, estando de acordo com as normas do Tratado de Não-Proliferação Nuclear, do qual é signatário. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
programa nuclearRússiaIrã

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.