David Mdzinarishvili / Reuters
David Mdzinarishvili / Reuters

Rússia aumenta efetivo militar e faz exercícios em fronteira com a Ucrânia

8,5 mil homens estão em região próxima a área de maioria russa no leste da ex-república soviética

O Estado de S. Paulo,

13 de março de 2014 | 07h57

(Atualizada às 09h50) MOSCOU - Cerca de 8,5 mil militares russos participam de exercícios militares perto da fronteira com a Ucrânia envolvendo artilharia e lançadores múltiplos de foguetes, informou o Ministério da Defesa russo nesta quinta-feira, 13.

Um comunicado no site do ministério confirmou que os exercícios foram iniciados em bases do Distrito Militar Sul, mas não diz quanto tempo vão durar.

A previsão é que essas ações continuem até o final de março nas regiões de Rostov, Tambov, Belgorod e Kursk. Nesta fase, as tropas estão praticando técnicas de combate e manobras estratégicas, explica o ministério.

Os exercícios devem causar preocupação na Ucrânia devido à crise política entre Kiev e Moscou sobre a península ucraniana da Crimeia, que está atualmente sob controle de forças russas.

No último mês, a Rússia anunciou exercícios militares que envolveram 150 mil soldados em regiões próximas ao território ucraniano. A ação levou a temores de que os russos estariam considerando ações militares na Ucrânia. Os soldados foram obrigados a retornar para as bases na semana passada, mas a ordem não foi aplicada para as tropas que ocupam a Crimeia.

A ocupação na Crimeia, segundo o governo russo, ocorre para evitar um ataque armado por parte de Kiev. "Existem algumas unidades militares que estão ocupando suas posições em caso de haver alguma resistência, agressão armada ou ocupação por parte de Kiev", disse Leonid Slutsky, chefe do comitê do Estado de Duma, o Parlamento russo.

Na quarta-feira, os Estados Unidos iniciaram um exercício naval conjunto envolvendo Bulgária e Romênia nas águas do mar Negro em frente à península da Crimeia. / AP e REUTERS

Tudo o que sabemos sobre:
Crise na UcrâniaUcrâniaRússia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.