Rússia aumentará presença naval no Mediterrâneo

A Rússia planeja aumentar o tamanho de sua frota naval no Mediterrâneo para 10 navios de guerra, em meio a escalada das tensões na região por causa da possível intervenção militar internacional na Síria, disse o almirante Viktor Chirkov, chefe da Marinha, de acordo com agências de notícias russas.

AE, Agência Estado

13 de setembro de 2013 | 04h21

"A Marinha vai aumentar seu grupo no Mediterrâneo até atingir a autossuficiência em questões relacionadas com a realização do conjunto de tarefas. As tarefas são muito claras: evitar até a menor ameaça para as fronteiras e para segurança do Estado. É uma prática comum que todas as frotas do mundo estejam presentes em locais onde o nível de tensão aumenta", afirmou.

Segundo Viktor Chirkov, a intensificação dos esforços de segurança começou no final do ano passado quando se estabeleceu uma presença permanente no Mediterrâneo oriental.

No total, a Rússia tem atualmente cerca de 80 navios da Marinha em todo o mundo, disse Chirkov.

Os EUA pediram uma intervenção militar internacional na sangrenta guerra civil na Síria, em resposta a um ataque com armas químicas nos arredores de Damasco. Os EUA culpam o governo sírio do presidente Bashar Assad pela ofensiva.

A Síria concordou com uma proposta da Rússia de colocar seu arsenal de armas químicas sob controle internacional e as negociações sobre como isso será alcançado começaram em Genebra.

A proposta russa foi saudada em todo o mundo em meio ao aumento dos esforços para evitar um potencial conflito. Fonte: Dow Jones Newswires.

Mais conteúdo sobre:
rússiamarinhamediterrâneo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.