Rússia avaliará Crimeia antes de alterar regras fiscais

Moscou, 18/04/2014 - O primeiro-ministro da Rússia, Dmitry Medvedev, disse nesta sexta-feira que o governo vai decidir se adota medidas fiscais para estimular a economia após avaliar o impacto da anexação da Crimeia. Em meio à crise com a Ucrânia e as sanções impostas por países do Ocidente, a economia russa corre o risco de registrar recessão este ano.

Agência Estado

18 de abril de 2014 | 10h10

"Nós precisamos entender se as condições econômicas mudaram de tal forma que precisaremos alterar as regras fiscais. Por exemplo, a anexação da Crimeia muda as condições econômicas ou não? Essas 2,5 milhões de pessoas mudam os parâmetros macroeconômicos?", comentou Medvedev.

O Ministério de Economia da Rússia tem dito que, devido ao risco de contração econômica, o governo deveria mudar as regras fiscais, que obrigam a destinar boa parte dos recursos gerados com a venda de petróleo e derivados para um fundo especial. Entretanto, o Ministério de Finanças é contra alterar essas regras, afirmando que mesmo que a anexação da Crimeia demande mais recursos do governo central, não se deve permitir um aumento do déficit orçamentário.

Segundo Medvedev, as regras fiscais devem ser "adequadas" para as condições econômicas atuais, mas explicou que se a situação mudar dramaticamente, o arsenal fiscal do governo deve ser revisto. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
RússiaCrimeiafiscal

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.