Rússia busca pistas do acidente aéreo

Investigadores russos estão buscando pistas nos destroços nas caixas-pretas para determinar o que causou a queda de um avião de passageiros sobre um bosque siberiano, causando a morte de todas as 145 pessoas a bordo, na terça-feira.O jato Tupolev-154 pertencente à companhia aérea Vladivostokavia caiu por volta das 2h locais de terça-feira (14h em Brasília) quando tentava pousar em Irkutsk, uma cidade da Sibéria situada a 4.200 quilômetros de Moscou.A aeronave estava a uma altitude de 850 metros quando ocorreu uma mudança de curso de 180 graus e caiu em uma pradaria cercada por uma floresta a cerca de 30 quilômetros de Irkutsk, informou o ministro russo de Situações Emergenciais, Sergei Shoigu, no local do acidente."É muito difícil entender como isso pôde acontecer com base em conhecimentos básicos de aerodinâmica. Foi um acidente estranho", disse Shoigu, tendo como cenário um fundo de destroços incendiados do avião.As autoridades não descartaram um ato terrorista e buscavam sinais de explosivos, informou a agência russa de notícias Interfax. Porém, os destroços foram encontrados em uma área relativamente pequena, indicando que não deve ter ocorrido uma explosão no ar, disse o vice-ministro de Transportes Karl Ruppel, citado pela Interfax.Os controladores de vôo que acompanharam os últimos momentos da aeronave foram afastados de suas funções durante a investigação do acidente, informou a ITAR-Tass, outra agência local de notícias.O último contato via rádio entre os controladores de vôo e a tripulação da aeronave ocorreu quatro minutos antes do acidente, informou a ITAR-Tass, citando como fonte Yuri Zhuralev, um funcionário local dos serviços de transportes aéreos. Não há informações sobre pessoas mortas em solo.O avião transportava 136 passageiros - sendo seis crianças - e nove tripulantes, disse Vasily Yurchuk, porta-voz do Ministério de Situações Emergenciais. De acordo com funcionários locais, havia 12 estrangeiros no vôo, provavelmente chineses.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.