Rússia condena dois por atentados que causaram guerra

A Justiça russa condenou dois homens à prisão perpétua, pelo envoilvimento de ambos numa séride de atentados contra prédios de apartamentos que foi o estopim da seguda guerra da Chechênia, num veredicto que críticos do governo de Vladimir Putin denunciaram como um ?espetáculo?.Yusuf Krymshamkhalov e Adam Dekkushev foram condenados sob as acusações de terrorismo, assassinato, posse ilegal e tráfico de explosivos e outros crimes relacionados aos atentados de 1999 contra Moscou e Volgodonsk, que mataram 246 pessoas. Promotores disseram que os dois fizeram explosivos, esconderam-nos em sacos de açúcar e os levaram a Moscou e Volgodonsk, obedecendo a ordens de rebeldes chechenos.Os condenados porometeram apelar. Após o veredicto, parentes de vítimas das explosões divulgaram uma carta aberta com questões que o julgamento não chegou a elucidar.Autoridades russas culpam rebeldes chechenos pelos atentados, mas líderes da Chechênia negam envolvimento. Alguns críticos sugerem que o Serviço Federal de Segurança (FSB, sucessor da KGB), orquestrou as explosões para justificar a guerra. Em dezembro, autoridades russas confiscaram milhares de exemplares de um livro que acusa o FSB exatamente disso. Um dos autores, o ex-agente Alexander Litvinenko, recebeu asilo político no Reino Unido.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.