Rússia condena ex-magnata a 14 anos de prisão

O juiz Viktor Danilkin estabeleceu hoje uma pena de 14 anos de prisão para o ex-magnata russo Mikhail Khodorkovsky, após um julgamento visto como uma punição por ele ter desafiado o poder de Vladimir Putin. Khodorkovsky foi condenado por roubar petróleo de sua própria empresa e lavar o dinheiro proveniente da venda do produto.

AE, Agência Estado

30 de dezembro de 2010 | 12h52

O ex-magnata cumpre o último ano de uma primeira sentença de oito anos. Seus advogados dizem que a nova sentença deve ser contada a partir de sua prisão, em 2003, e incluir o período que ele já passou na cadeia.

Putin é visto como a força por trás do julgamento de Khodorkovsky, que o desafiou durante o período em que ele foi presidente. Atualmente no cargo de primeiro-ministro, Putin deve tentar voltar à presidência em 2012 e parece receoso com a possibilidade de ter Khodorkovsky como líder da oposição. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
RússiaKhodorkovskypolítica

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.