Rússia confirma encontro de Yanukovych e Putin

O presidente da Ucrânia, Viktor Yanukovych, e o presidente da Rússia, Vladimir Putin, se encontraram nos bastidores da cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos de Inverno de Sochi, na Rússia, ontem.

AE, Agência Estado

08 de fevereiro de 2014 | 13h50

O Kremlin confirmou neste sábado que Yanukovych e Putin se reuniram no fim da noite de sexta-feira, mas não deu detalhes sobre o encontro. A Ucrânia tem tido intensos e muitas vezes violentos protestos há mais de dois meses desde a decisão do governo de rejeitar laços mais estreitos com a União Europeia em favor de uma aproximação com a Rússia.

A Rússia prometeu à Ucrânia US$ 15 bilhões em auxílio, mas desembolsou apenas US$ 3 bilhões enquanto aguarda para ver se Yanukovych permanecerá no poder.

A visita do presidente ucraniano ocorreu um dia depois de o ministro das Finanças russo ter anunciado que o país não emprestaria mais recursos à Ucrânia a menos que o país vizinho pagasse suas despesas com gás, que venceram em janeiro.

Enquanto isso, em Kiev, milhares de pessoas descontentes por meses de protestos antigoverno reuniram-se perto de uma das barricadas de manifestantes que pedem a saída de Yanukovych, aumentando a tensão na capital ucraniana.

O grupo de 2 mil manifestantes que se opõe aos protestos se aproximou da barricada ao meio-dia de sábado. Eles bloquearam o tráfego na avenida principal de Kiev e colocaram pneus na via. Igor Polishchuk, um dos homens que instalaram os pneus, disse que o grupo pretendia mostrar a sua oposição pacífica aos protestos que levaram o país a uma crise política e criticou a atitude da polícia frente os manifestantes antigoverno, que também ocupam a prefeitura de Kiev.

Os manifestantes antigoverno permaneceram no topo de uma barricada de três metros de neve e resíduos perto da prefeitura. Fonte: Dow Jones Newswires e Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
RÚSSIASOCHI

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.