Alexei Druzhinin/ Sputnik, Kremlin Pool Photo via AP
Alexei Druzhinin/ Sputnik, Kremlin Pool Photo via AP

Rússia construirá base naval permanente na Síria

Informação foi confirmada nesta segunda pelo vice-ministro da Defesa russo, Nikolai Pankov; na semana passada, Moscou afirmou que cogita reabrir bases da era soviética no Vietnã e em Cuba

O Estado de S. Paulo

10 Outubro 2016 | 16h57

MOSCOU - A Rússia construirá uma base naval permanente na Síria para ampliar a presença militar em seu aliado mais próximo no Oriente Médio, disse uma autoridade do governo nesta segunda-feira, 10, uma semana depois de Moscou dizer que está cogitando reabrir bases da era soviética no Vietnã e em Cuba.

A medida, anunciada pelo vice-ministro da Defesa russo, Nikolai Pankov, é mais um indício de que a Rússia está intensificando sua atuação na Síria, apesar de uma redução parcial de seus efetivos em março, e mais um sinal de que se prepara para dar apoio para o presidente sírio, Bashar Assad, por um longo período.

"Ao fazer isso, a Rússia está não só reforçando seu potencial militar na Síria, mas em todo o Oriente Médio", disse o senador Igor Morozov, membro da câmara alta do Comitê de Assuntos Internacionais do parlamento russo, à agência de notícias RIA.

Uma análise de dados de rastreamento disponível ao público feita pela Reuters revelou que Moscou vem aumentando continuamente suas forças em solo sírio desde o fracasso de um cessar-fogo no final de setembro, dobrando as linhas de suprimento por ar e mar.

O plano base, que irá incluir a atualização e a expansão de uma instalação naval já existente no porto de Tartus, que Moscou arrenda da Síria, é parte de uma iniciativa para ampliar ou criar uma nova presença militar no exterior.

O jornal Izvestia relatou que Moscou também está conversando sobre a abertura de uma base aérea no Egito, e o diário estatal Rossiskaya Gazeta noticiou que a Rússia quer também bases na Venezuela, Nicarágua, Ilhas Seicheles e Cingapura.

Em atrito com Washington por causa da Síria e da Ucrânia, a Rússia se envolveu em uma verdadeira medição de forças nas últimas semanas, enviando mísseis terra-ar S-300 para Tartus, mísseis de capacidade nuclear para seu encrave europeu de Kaliningrado e intensificando sua força de ataque na Síria.

O Ministério da Defesa russo disse nestaa segunda-feira que os paraquedistas russos participam, pela primeira vez, de exercícios militares em solo egípcio neste mês. / REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.