Rússia cortará laços militares com Otan, diz Noruega

Segundo Oslo, Moscou planeja congelar sua cooperação com a aliança e países aliados

AP E EFE, O Estadao de S.Paulo

21 de agosto de 2008 | 00h00

A Rússia pretende cortar todos seus laços militares com a Otan, disse ontem o Ministério da Defesa da Noruega. A Embaixada da Noruega em Moscou disse ter recebido um telefonema de "um funcionário de alto escalão do Ministério de Defesa da Rússia", dizendo que Moscou planeja "congelar sua cooperação com a Otan e os países aliados", disse o secretário de Estado norueguês Espen Barth Eide. Segundo ele, o funcionário russo disse que a Noruega receberia uma notificação por escrito em breve. O Kremlin não quis comentar a informação e funcionários da Otan em Bruxelas disseram que Moscou não havia informado sobre qualquer medida nesse sentido. Na terça-feira, os chanceleres da Otan congelaram os contatos formais com a Rússia, exigindo que Moscou cumprisse sua promessa de retirar suas forças da Geórgia. Mas não suspenderam o acordo de 2002, que estabeleceu vários projetos de cooperação entre a Otan e a Rússia, antigos rivais da época da Guerra Fria.Na semana passada, o embaixador da Rússia na Otan, Dmitri Rogozin, advertiu a aliança atlântica contra o corte de cooperação, dizendo que tal medida prejudicaria os dois lados.A Rússia criticou duramente os EUA pelo acordo para a instalação de um sistema de mísseis na Polônia e advertiu que a resposta de Moscou a um desenvolvimento do escudo antimísseis irá além da diplomacia. A secretária americana de Estado, Condoleezza Rice, que assinou o acordo ontem em Varsóvia, disse que a Rússia está perdendo a credibilidade e suas ameaças "beiram o bizarro". A Casa Branca afirmou ontem que as forças russas começaram a se retirar da Geórgia, mas disse que o recuo não é significativo e deve ser acelerado - a Rússia prometeu retirar suas tropas até amanhã. O presidente George W. Bush reafirmou que as províncias separatistas Ossétia do Sul e Abkázia pertencem à Geórgia. Mais de 50 blindados russos abandonaram ontem a cidade georgiana de Gori em direção à Ossétia do Sul. Mas soldados russos cavaram trincheiras e estabeleceram checkpoints na Geórgia, fora da zona de segurança na qual têm autorização para permanecer como forças de paz, segundo acordo de trégua.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.