Rússia critica ataques aéreos no Iraque

O Ministério das Relações Exteriores da Rússia divulgou comunicado em que critica os Estados Unidos e a Grã-Bretanha pela intensificação dos ataques aéreos nas chamadas "zonas de exclusão aérea" do Iraque."Em Moscou, os informes sobre os ataques aéreos contínuos e crescentes por aviões norte-americanos e britânicos nas chamadas ´zonas de exclusão aérea´ causam preocupação", diz o comunicado.O texto acrescenta que os ataques constituem uma violação das resoluções da Organização das Nações Unidas (ONU), segundo as quais a soberania e a integridade territorial do Iraque devem ser preservadas."Não existe nenhuma justificativa para essas atividades neste momento, quando os esforços da comunidade internacional estão centrados em reduzir as tensões no Golfo Pérsico e em assegurar uma solução político-diplomática para o problema iraquiano", diz o comunicado.As "zonas de exclusão aérea" são regiões no norte e no sul do Iraque nas quais a Força Aérea iraquiana está proibida de atuar desde a Guerra do Golfo, em 1991. Elas foram estabelecidas para impedir que o regime de Saddam Hussein atacasse minorias étnico-religiosas (curdos no norte e xiitas no sul).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.