Reuters
Reuters

Rússia critica EUA e nega qualquer envolvimento em caso Snowden

Chanceler diz que críticas de Washington sobre ajuda a americano são infundadas e inaceitáveis

O Estado de S. Paulo,

25 Junho 2013 | 10h40

MOSCOU - O governo da Rússia rejeitou nesta terça-feira, 25 aceitar qualquer responsabilidade pela tentativa do ex-técnico da CIA Edward Snowden de fugir da Justiça americana. O chanceler Sergei Lavrov considerou as acusações feitas por Washington "infundadas e inaceitáveis".

"Ele escolheu o seu itinerário por conta própria. Nós fomos informado sobre isso a partir da mídia. Ele não cruzou a fronteira com a Rússia", disse Lavrov, em  Moscou. "Consideramos que as tentativas de acusar a Rússia de violar as leis norte-americanas, e praticamente de envolvimento em uma conspiração, são absolutamente infundadas e inaceitáveis."

Snowden, que pediu asilo político ao governo do Equador, fugiu de Hong Kong para Moscou no domingo e está em destino incerto. Esperava-se que ele embarcasse ontem para Cuba, onde pegaria um novo avião para Quito, mas o voo da companhia russa Aeroflot com destino a Havana decolou sem ele.

De Londres, onde está refugiado na embaixada equatoriana, o fundador do WikiLeaks, Julian Assange - que garante estar ajudando Snowden - disse que a fonte dos vazamentos está são e salvo, a caminho do Equador por meio de uma rota "segura" que inclui a Rússia e "outros países". Segundo o ativista australiano, o governo equatoriano concedeu a Snowden um salvo-conduto, documento que o permite viajar mesmo sem seu passaporte americano.

O governo americano acredita que o ex-técnico da CIA, que vazou para o jornal britânico The Guardian a existência de um programa de monitoramento de telefonemas e redes sociais chamado Prism, esteja  em Moscou. Washington quer sua extradição para processá-lo por divulgar segredos do governo. Ele não foi visto por jornalistas no aeroporto de Sheremetyevo e não se tem conhecimento que ele tenha deixado a área de trânsito.

Uma fonte do aeroporto confirmouque Snowden chegou de Hong Kong na tarde de domingo. A fonte disse que Snowden tinha passagem para embarcar num voo para Havana na segunda-feira, mas que não a utilizou. A fonte não disse onde Snowden estava agora.

O presidente russo, Vladimir Putin, tem mantido silêncio sobre Snowden desde a chegada dele a Moscou, e o porta-voz presidencial disse que o ex-espião da KGB não tem nenhuma informação sobre o paradeiro do norte-americano.

China. O governo chinês, por sua vez, chamou de infundadas as acusações de Washington de que Pequim ajudou o ex-técnico da CIA Edward Snowden a fugir de Hong Kong.

A porta-voz do Ministério das Relações Exteriores, Hua Chunying, afirmou em entrevista coletiva que "não é razoável por parte dos Estados Unidos questionar a gestão de Hong Kong de seus assuntos de acordo com a lei".  "As acusações contra o governo central chinês não têm fundamento. China não pode aceitar", criticou Hua. / EFE e REUTERS

Mais conteúdo sobre:
RússiaEUAEdward Snowden

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.