Rússia critica EUA por sugerir negociação com chechenos

A Rússia criticou o anúncio dos Estados Unidos, de que o governo em Washington estaria disposto a dialogar com líderes separatistas da Chechênia, e sugeriu que a questão pode comprometer as relações entre os dois países. O chanceler russo, Sergey Lavrov, advertiu que "resolvemos nós mesmos nossos problemas internos e não existe necessidade de busca de uma rota americana para a normalização política na Chechênia", informou a agência de notícias Interfax. porta-voz do Ministério do Exterior, Alexander Yakovenko, acrescentou que conversações com líderes rebeldes chechenos são "absolutamente inaceitáveis". "Acima de tudo, estamos falando sobre indivíduos que estão por trás de sangrentos ataques de terroristas na Rússia, que atraíram a indignação de todo o mundo civilizado", disse Yakovenko. Apesar de ter condenado o ataque da semana passada contra uma escola russa, o Departamento de Estado dos EUA ponderou na terça-feira que Moscou terá de promover discussões políticas com os líderes rebeldes chechenos, que buscam a independência da república.No mês passado, os Estados Unidos concederam asilo para Ilyas Akhmadov, líder rebelde e chanceler do ex-presidente checheno Aslan Maskhadov. Hoje, segundo a Interfax, Lavrov disse que o envolvimento de Akhmadov em atividades terroristas é "bem conhecido" pelos americanos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.