Rússia deixa conversações de paz com a Geórgia

As conversações de paz, que tinham como objetivo cicatrizar as feridas da guerra entre Rússia e Geórgia, não foram adiante hoje, depois que as delegações das duas províncias separatistas recusaram-se a participar das discussões. "Os copresidentes lamentam fortemente a retirada dos participantes russos no início da quinta sessão das discussões de Genebra hoje", disse o comunicado da Organização das Nações Unidas (ONU), da União Europeia (UE) e da Organização para a Segurança e Cooperação na Europa (OSCE).

AE-AP, Agencia Estado

18 de maio de 2009 | 18h01

A rodada de conversações agendada para hoje e amanhã seria a primeira reunião desde fevereiro com a participação da Geórgia, Rússia e os aliados russos da regiões separatistas georgianas da Abkházia e Ossétia do Sul. Os mediadores disseram que a delegação da Abkházia recusou-se a participar das conversações. A delegação da Ossétia do Sul então, retirou-se, seguida pela equipe russa. "Isso foi o mais lamentável nas discussões de hoje, que tinham precisamente o objetivo de oferecer uma oportunidade para ouvir as opiniões de todos os participantes sobre questões humanitárias e de segurança", disse o comunicado.

As conversações têm sido realizadas periodicamente desde outubro, com o objetivo de tentar resolver as disputas deixadas pela guerra de agosto entre Rússia e Geórgia. Os mediadores pediram a todas as partes que participem das conversações amanhã. "As discussões de Genebra representam o único fórum no qual todos os participantes podem conversar uns com os outros sobre questões importantes de segurança e estabilidade, bem como questões humanitárias", disseram os mediadores.

O vice-ministro de Relações Exteriores da Rússia, Grigory Karasin, disse à emissora de televisão russa Canal 1 que estava deixando as conversações. "Nós não podemos discutir a questão da segurança na Abkházia e na Ossétia do Sul sem seus representantes." Mas Karasin disse esperar que as conversações sejam retomadas amanhã.

Tudo o que sabemos sobre:
RússiaGeórgiadimplomaciapaz

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.