Mikhail Klimentyev/Sputnik, Kremlin Pool Photo via AP
Mikhail Klimentyev/Sputnik, Kremlin Pool Photo via AP

Rússia diz que demissão de diretor do FBI é 'assunto interno' dos Estados Unidos

Porta-voz do Kremlin diz que 'decisão soberana' do presidente americano não tem nenhuma relação com Moscou; Dmitri Peskov espera que medida tomada por Trump não afete vínculos entre os dois países

O Estado de S.Paulo

10 Maio 2017 | 09h54

MOSCOU - O governo russo afirmou nesta quarta-feira, 10, que a demissão do diretor do FBI, James Comey, pelo presidente americano, Donald Trump, é um "assunto interno" dos EUA, que não tem nenhuma relação com a Rússia.

"Este é um assunto absolutamente interno dos EUA, uma decisão soberana do presidente americano e não tem nenhuma relação com a Rússia", afirmou o porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov.

A decisão do presidente americano anunciada na véspera provocou surpresa em Washington, especialmente pelo fato de o FBI conduzir uma investigação sobre os possíveis vínculos entre a equipe de campanha do republicano com os russos, acusados de interferirem na eleição americana do ano passado.

"Esperamos que esta decisão não tenha nenhum impacto nas relações entre Rússia e Estados Unidos", reforçou Peskov, ao comentar sobre possíveis consequências da decisão no vínculo entre Washington e Moscou.

Nesta quarta-feira, o chanceler russo, Serguei Lavrov, se reúne em Washington com o secretário de Estado dos EUA, Rex Tillerson, e depois, com o próprio Trump na Casa Branca, no que será o encontro de mais alto nível entre os dois países desde que o magnata tomou posse, em 20 de janeiro. / AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.