Ariel Schalit/AP
Ariel Schalit/AP

Rússia diz que forças externas afetam pacificação síria

Chanceler russo, Sergei Lavrov, insinuou que oposição armada ao presidente Bashar al Assad é a principal responsável pela violência

Reuters,

17 de abril de 2012 | 11h22

MOSCOU - A Rússia acusou nesta terça-feira, 17, forças externas não especificadas de tentarem solapar o plano de paz do enviado internacional à Síria, Kofi Annan, dizendo que o apoio a adversários do governo ameaça o frágil cessar-fogo em vigor.

Veja também:

linkAssad mantém observadores da ONU em gabinetes enquanto ataca rebeldes

O chanceler russo, Sergei Lavrov, insinuou que a oposição armada ao presidente Bashar al Assad é a principal responsável pela violência que perdura apesar da trégua declarada na quinta-feira.

 
"Há os que desejam que o plano de Kofi Annan fracasse", disse Lavrov pela TV. "Hoje, os que (...) desde o início anteviram o fracasso do plano de Annan estão fazendo muito para ver essa profecia se realizar. Eles estão fazendo isso ao entregarem armas à oposição síria e estimularem a atividade de rebeldes que continuam a atacar instalações governamentais e (...) instalações civis diariamente."
 
"É claro que as forças do governo também estão tomando medidas para reagir a tais provocações, e como resultado não está tudo transcorrendo suavemente ainda", disse Lavrov, qualificando o cessar-fogo de "bastante frágil".
 
A Rússia fornece armas à Síria e blinda Assad vetando qualquer resolução da ONU que condene seu governo pela repressão dos últimos 13 meses a manifestantes pró-democracia. A ONU diz que as forças do governo sírio já mataram mais de 9.000 pessoas nesse período.
 
O governo russo ofereceu apoio total ao plano de paz de Annan, enviado especial da ONU e da Liga Árabe, e na semana passada pediu ao governo de Assad que intensifique sua implementação. Por outro lado, os russos não deixaram de apontar a oposição como principal culpada pela crise.

Tudo o que sabemos sobre:
SíriapacificaçãoKofi Annan

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.