Rússia diz que 'guerra do gás' é fantasia política

Rumores de que o Ocidente está declarando uma "guerra do gás" contra a Rússia é uma "fantasia política", afirmou o representante permanente de Moscou para a União Europeia, Vladimir Chizhov, segundo a agência de notícias russa Interfax.

Agência Estado

27 de março de 2014 | 08h37

O comentário de Chizhov é a primeira reação do Kremlin após o discurso feito ontem em Bruxelas por Barack Obama, durante o qual o presidente dos EUA pediu a líderes europeus que encontrem formas de reduzir sua dependência da energia russa e explorar suas próprias fontes de energia após a crise da Ucrânia. Na ocasião, Obama disse que os EUA estão prontos para garantir que suas exportações de gás natural satisfaçam as necessidades energéticas da Europa.

A crise, que ganhou força após Moscou anexar a região ucraniana da Crimeia, tem gerado apelos para que a Europa repense sua estratégia para o gás de xisto e reduza sua dependência em relação à Rússia.

Segundo Chizhov, planos da UE de migrar para o gás de xisto norte-americano "possivelmente só se tornarão realidade em 50 anos, ou até mesmo 100 anos".

"Isso vai custar bem mais que o gás entregue pela (empresa russa de gás) Gazprom, mesmo apesar das inúmeras queixas (na Europa) de que o gás (russo) está caro demais", concluiu Chizhov. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
RússiaOcidentegás

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.