Rússia diz que pode lançar ataques caso sofra ameaça

General defende o uso de armas nucleares se a segurança do país estiver sob risco

EFE

19 de janeiro de 2008 | 09h29

O chefe do Estado-Maior das Forças Armadas russas, general Yuri Baluyevsky, advertiu neste sábado, 19, que seu país pode lançar ataques preventivos em caso de ameaça a sua segurança e a de seus aliados. "Não temos a intenção de atacar ninguém, mas todos devem entender que, em caso de necessidade, as Forças Armadas serão empregadas para a defesa da Rússia e de seus aliados, tanto de forma preventiva como com o uso de armas nucleares", disse Baluyevsky, citado pela agência oficial "Itar-Tass".  Ao mesmo tempo, o general russo se mostrou contra a militarização excessiva da sociedade. "É preciso lembrar as lições da História, que mostram que a militarização excessiva da sociedade, inclusive sem guerras, mina os pilares de sua existência", assinalou Baluyevsky, em pronunciamento em uma conferência na Academia de Ciências Militares da Rússia. Na opinião do general, as Forças Armadas do país sofrem de "certa limitação de recursos e da necessidade de seu uso eficaz". "Para garantir a segurança nacional é necessário que os planos de desenvolvimento das Forças Armadas se sustentem em um planejamento financeiro a longo prazo que leve em conta as possibilidades econômicas de nosso Estado", destacou. Segundo Baluyevsky, o cumprimento dessa tarefa deve ser uma das prioridades da chefia do Ministério da Defesa da Rússia.

Tudo o que sabemos sobre:
rússia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.