Rússia diz que Ucrânia deve renovar cessar-fogo e parar ataques

Presidente ucraniano afirmou que não renovará medida porque não viu esforços russos para encerrar a crise no leste do país

O Estado de S. Paulo

01 de julho de 2014 | 10h13

MOSCOU - A Rússia pediu enfaticamente ao governo ucraniano nesta terça-feira, 1, que encerre as operações militares e retome o cessar-fogo no leste da Ucrânia, onde o governo combate uma rebelião separatista pró-Rússia.

"Nós exigimos que as autoridades ucranianas se abstenham de bombardear vilarejos e cidades civis do próprio país e retomem um autêntico, e não um falso, cessar-fogo para salvaguardar as vidas do povo", disse o Ministério de Relações Exteriores russo em um comunicado.

Demonstrando impaciência com o que ouviu do presidente russo, Vladimir Putin, o homólogo ucraniano, Petro Poroshenko, disse que Kiev não viu "passos concretos para desescalar a situação, incluindo o fortalecimento dos controles na fronteira".

O Exército ucraniano lançou ataques aéreos e ofensivas com artilharia contra os separatistas nesta terça, disse um porta-voz militar, depois que Poroshenko disse que não iria renovar o cessar-fogo, encerrado na segunda-feira 30, e prosseguiria com a ofensiva para livrar a Ucrânia de "parasitas".

Poroshenko, que acusa a Rússia de atiçar o conflito e permitir que combatentes e equipamentos cruzem a fronteira para dar apoio aos rebeldes, se opôs a uma nova prorrogação do cessar-fogo unilateral. / REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.