Rússia e China começam manobras militares conjuntas

Países afirmam que objetivo é estabelecer estratégias contra ataques terroristas

Efe

22 de julho de 2009 | 05h43

Rússia e China começaram hoje as manobras militares conjuntas denominadas "Missão de Paz-2009", que ocorrem em ambos os países e se estenderão até o próximo domingo.

 

O chefe do Estado-Maior Geral das Forças Armadas da Rússia, general Nikolai Makarov, e seu colega chinês, Chen Bingde, assinaram a ordem do começo dos exercícios em cerimônia solene realizada em Khabarovsk, cidade no extremo leste da Rússia, informou a agência russa "Interfax".

 

Os exercícios terão a participação de três mil militares, mais de 300 veículos terrestres e mais de 40 aviões e helicópteros. As atividades consistem na simulação de uma operação antiterrorista conjunta.

 

A primeira etapa das manobras inclui consultas político-militares, que serão realizadas hoje em Khabarovsk. Em seguida, há a tomada de decisão sobre o lançamento da "operação antiterrorista" e, finalmente, os exercícios propriamente ditos, que se darão no nordeste da China.

 

Citado pela "Interfax", o general Makarov declarou que as manobras cumprirão uma série de tarefas, como a "criação de um agrupamento militar conjunto e estudar a experiência de realizar uma operação antiterrorista conjunta".

 

Por sua vez, o general Chen ressaltou que os exercícios militares conjuntos com a Rússia não estão dirigidos contra terceiros países, mas têm como fim contribuir para a estabilidade na região Ásia-Pacífico.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.