Rússia e China proíbem compra de laticínios de Fonterra

Os governos da Rússia e da China anunciaram neste domingo (4) uma proibição à importação de laticínios da neozelandesa Fonterra em meio a temores em relação à presença de uma bactéria que provoca botulismo.

AE, Agência Estado

04 de agosto de 2013 | 13h05

De acordo com a agência de notícias RIA Novosti, o órgão regulador russo Rospotrebnadzor divulgou nota informando sobre o início do recolhimento dos produtos da Fonterra e recomendou aos consumidores do país que não os comprem.

Na China, a decisão foi tomada depois de testes terem revelado a presença da bactéria em um soro de leite desidratado usado em diversos produtos da Fonterra, maior produtora mundial de laticínios, inclusive no leite em pó para bebês.

No sábado (3), a Fonterra revelou a existência de um "problema de qualidade" com a proteína desidratada usada na produção de três lotes em uma unidade de processamento em maio de 2013. Os lotes contaminados totalizam 38 toneladas do ingrediente. Segundo o governo da Nova Zelândia, os produtos contaminados foram exportados para Arábia Saudita, Austrália, China, Malásia, Tailândia e Vietnã. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
botulismoChinaRússia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.