Johannes EISELE / AFP
Johannes EISELE / AFP

Rússia e China vetam resolução sobre Venezuela no Conselho de Segurança da ONU

Medida apresentada pelos Estados Unidos previa realização de eleições e entrada de ajuda humanitária no país

Redação, O Estado de S.Paulo

28 de fevereiro de 2019 | 18h04
Atualizado 28 de fevereiro de 2019 | 18h04

NOVA YORK -  Rússia e a China vetaram nesta quinta-feira, 28, uma resolução apresentada no Conselho de Segurança da ONU pelos Estados Unidos que pedia a realização de eleições livres na Venezuela e a liberação da entrada de ajuda humanitária. 

O texto reuniu nove votos a favor, mas foi rejeitado pelos diplomatas russos e chineses. A África do Sul também votou contra. 

França, Reino Unido, Alemanha, Peru e República Dominicana votaram a favor. Indonésia, Guiné Equatorial e Costa do Marfim se abstiveram.

"Lamentavelmente membros deste conselho continuam protegendo Maduro e seus cúmplices e prolongando o sofrimento dos venezuelanos", disse o enviado americano, Elliot Abrams.

"Os Estados Unidos parecem ter se esquecido o que é o direito internacional", disse o embaixador russo Vassili Nebenzia. "Isso é uma cortina de fumaça para uma troca de governo."

O número dois chinês na entidade,Wu Haitao, disse que cabe aos venezuelanos definir os problemas da Venezuela.

Uma resolução russa também foi apresentada ainda hoje e rejeitada, com veto dos americanos. / REUTERS

 

Notícias relacionadas

    Encontrou algum erro? Entre em contato

    Tendências:

    O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.