Rússia e Espanha expulsam diplomatas, informa o jornal 'El País'

Segundo o jornal, a expulsão dos dois diplomatas russos aconteceu depois que o Centro Nacional de Inteligência informou ao governo espanhol que ambos realizavam tarefas de espionagem

Efe,

28 de dezembro de 2010 | 03h18

A Rússia expulsou no último dia 24 dois diplomatas espanhóis em represália pela expulsão da Espanha de dois diplomatas russos há sete semanas, informa nesta terça-feira, 28, o jornal El País.

O El País, que cita "fontes conhecedores do caso", afirma que nem Moscou nem Madri confirmaram oficialmente a notícia e que os embaixadores de Espanha e Rússia não quiseram falar do incidente.

O jornal La Razón informou no último dia 10 a expulsão dos funcionários russos e advertiu que era esperada uma reação recíproca por parte de Moscou.

Segundo o El País, a ordem de expulsão dada pelo governo Russo afeta Ignacio Cartagena, conselheiro político da Embaixada da Espanha em Moscou, e Borja Cortés-Bretón, primeiro-secretário na legação espanhola.

O El País, que qualifica o incidente como o mais grave desde o restabelecimento das relações diplomáticas entre Madri e Moscou em 1977, afirma que a expulsão dos dois diplomatas russos há sete semanas aconteceu depois que o Centro Nacional de Inteligência informou ao governo espanhol que ambos realizavam tarefas de espionagem.

O jornal afirma que a discrição mantida sobre este incidente entre Madri e Moscou contrasta com a informação pública de um fato semelhante entre Londres e Moscou, no último dia 22, quando o Ministério britânico de Assuntos Exteriores ordenou a expulsão de um diplomata russo e Moscou respondeu no dia seguinte com a expulsão de um diplomata do Reino Unido.

Tudo o que sabemos sobre:
RússiaEspanhaDiplomatasExpulsão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.