REUTERS/Maxim Shemetov
REUTERS/Maxim Shemetov

Rússia e EUA discutirão a situação da Venezuela por telefone

Anúncio foi feito por ministro russo de Relações Exteriores e telefonema deve envolver o secretário do Departamento de Estado americano, Mike Pompeo

Redação, O Estado de S.Paulo

12 de fevereiro de 2019 | 15h55

MOSCOU - O ministro das Relações Exteriores da Rússia, Serguei Lavrov, e o secretário do Departamento de Estado dos Estados Unidos, Mike Pompeo, discutirão por telefone a situação da Venezuela na tarde desta terça-feira, 12, segundo o governo russo.

Russos e americanos apoiam lados diferentes na crise política da Venezuela. Em janeiro, Washington reconheceu Juan Guaidó como presidente legítimo, enquanto Moscou continua a dar suporte a Nicolás Maduro, aliado de longa-data do Kremlin.

Para Entender

Venezuelanos vão às ruas contra o governo de Nicolás Maduro; entenda os motivos da manifestação antichavista

Protestos foram convocados pela oposição e receberam apoio dos Estados Unidos.

A autoproclamação de Guaidó, presidente da Assembleia Nacional e liderança em ascensão da oposição venezuelana, abalou as relações internacionais. A maior parte dos países latino-americanos seguiu o posicionamento americano, com México e Uruguai evitando declarações a favor de um ou de outro. A Europa declarou apoio ao opositor após ver minguar a pressão para que Maduro convocasse novas eleições. China, Rússia, Irã, Turquia e Síria apoiam a permanência do líder bolivariano no cargo até o final do mandato, programado para 2025.

 

Nos últimos dias, os Estados Unidos enviaram alimentos e remédios para a cidade Cúcuta, na Colômbia, para atenuar a crise humanitária na Venezuela. Caracas colocou soldados na fronteira para impedir a passagem dos kits, afirmando que a iniciativa abriria portas para uma eventual intervenção americana em território venezuelano. / REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.