Rússia e Japão querem resposta séria a testes nucleares

Moscou e Tóquio concordaram que os testes nucleares norte-coreanos merecem uma resposta dura e que ameaçam a segurança internacional, disse o governo russo neste sábado, após uma conversa telefônica entre líderes de ambos países.

CYNTHIA DECLOEDT, Agencia Estado

30 de maio de 2009 | 11h27

O presidente russo, Dmitry Medvedev, e o primeiro-ministro, Taro Aso, concordaram que "deve haver uma resposta séria (aos testes), que representam um desafio à segurança internacional", informa nota distribuída pelo governo russo.

Os líderes concordaram "coordenar" uma resposta antes da nova resolução do Conselho de Segurança das Nações Unidas. Na quinta-feira, o Ministério das Relações Exteriores do Japão afirmou que a Rússia está pronta para discutir a imposição de sanções contra a Coreia do Norte, em consequência do teste nuclear realizado na segunda-feira, apesar de terem circulado informações sugerindo oposição de Moscou a sanções.

A tensão está elevada desde a segunda-feira, quando a Coreia do Norte conduziu um teste nuclear subterrâneo, o segundo desde 2006, e após o país ter renunciado ao armistício de 1953, quando a guerra com a Coreia do Sul foi suspensa. A Coreia do Norte tem alertado que irá lançar um ataque contra o Sul e ameaçado responder fortemente a qualquer sanção imposta pelas Nações Unidas. Paralelamente ao teste nuclear, a Coreia do Norte testou seis mísseis de curta distância até ontem e satélites mostram que o país prepara-se para o lançamento de um míssil de longa distância. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Coreia do NorteRússiaJapão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.