AP
AP

Rússia e Otan alertam para colapso do governo sírio

Moscou afirmou que está preparando a retirada de milhares de cidadão russos da Síria

AE, Agência Estado

13 de dezembro de 2012 | 17h48

BEIRUTE - O governo russo, principal aliado externo da Síria, advertiu nesta quinta-feira, 13, que o presidente Bashar Assad está perdendo o controle sobre seu país e levantou a possibilidade de os rebeldes saírem como vencedores da guerra civil. A Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) disse que o governo de Assad "está à beira do colapso".

A Otan advertiu Assad a abrir algum diálogo com os insurgentes sírios e reconhecer "a realidade da situação atual". Essa é a primeira vez que a Rússia admite que o governo sírio encontra-se debilitado em quase dois anos de uma rebelião durante a qual já morreram mais de 40 mil pessoas.

O vice-chanceler da Rússia, Mikhail Bogdanov, disse que Moscou está preparando a retirada de milhares de cidadãos russos da Síria. "Uma vitória da oposição não pode ser descartada, infelizmente, mas é necessário observar os fatos: existe uma tendência de perda progressiva de controle do governo sobre uma porção cada vez maior do território", declarou Bogdanov durante uma audiência no Kremlin.

O secretário-geral da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), Anders Fogh Rasmussen, declarou que a queda de Assad seria "apenas uma questão de tempo". "Eu peço ao regime sírio que pare a violência e perceba qual é a situação verdadeira no momento", disse Rasmussen.

Ontem, os Estados Unidos, a Europa e diversos outros aliados reconheceram a Coalizão Nacional Síria, grupo de oposição, como "representante legítimo" do povo sírio, o que pode abrir caminho para uma maior ajuda internacional às forças que combatem Assad.

Karim Bittar, diretor de pesquisas do Instituto para as Relações Estratégicas Internacionais, disse que o disparo de foguetes Scud, por parte do governo, foi um sinal de que o regime de Assad passou da fase ofensiva à defensiva. "A batalha por Damasco começará em breve e essa batalha poderá mudar as regras do jogo", opinou.

O Scud é um míssil que pode transportar uma bomba de 3.500 quilos, com um alcance de 200 quilômetros ou mais, dizem analistas de defesa. Na quarta-feira, o governo sírio disparou alguns Scud contra as províncias de Alepo e Idlib, no norte do país e parcialmente controladas pelos rebeldes.

Ataques

Nesta quinta-feira, dois ataques a bomba perto de Damasco mataram pelos menos 24 pessoas, a maioria civis, incluídos mulheres e crianças.

Grupos armados de oposição a Assad dominam atualmente grande parte do norte da Síria e parecem controlar cada vez mais áreas nas proximidades de Damasco.

Com informações da AP e da Dow Jones

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.