Rússia e Otan concordam em retomar ligações militares

A Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) e a Rússia concordaram em retomar as relações militares neste sábado, durante o primeiro encontro de representantes do alto escalão desde que a aliança suspendeu as relações com Moscou em represália à ofensiva russa na Geórgia, há dez meses. O secretário geral da Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN), Jaap de Hoop Scheffer, cujo mandato está terminando, anunciou que o chamado conselho Otan-Rússia (NRC, na sigla em inglês), um painel criado em 2002 para buscar relações melhores entre os dois grupos rivais durante a Guerra Fria, foi reativado. "É uma disposição minha deixar para o meu sucessor o NRC vivo e em operação", disse Hoop Scheffer, cuja gestão termina em 1 de agosto. "Após o encontro, eu conquistei esse objetivo, pois houve uma sensação clara de que o NRC, que se comportou de maneira neutra, está de volta", disse. "Nós também concordamos em retomar os contatos militares." As conversas entre o exército russo e a Otan foram paralisadas depois de uma guerra de cinco dias em agosto de 2008.

AE-AP, Agencia Estado

27 de junho de 2009 | 17h19

A despeito da aproximação política gradual durante os últimos cinco meses, não houve contatos militares formais entre a aliança e os russos. A retomada das conversas significa que a Otan e a Rússia buscarão uma cooperação em torno de uma série de temas ligados à segurança, incluindo questões relacionadas ao Afeganistão, combate à pirataria, terrorismo e ao avanço no uso das armas nucleares. O ministro de Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, encontrou os representantes das 28 nações reunidas na Otan na ilha grega de Corfu, antes de um encontro informal mais amplo com os ministros das 56 nações da Organização para Segurança e Cooperação da Europa. De Hoop Scheffer afirmou que a retomada dos contatos militares deve envolver encontros de líderes do staff na Rússia e em outros países da Otan. O encontro em Corfu, que ocorre antes de uma reunião do presidente dos EUA, Barack Obama, e de seu colega russo, Dmitry Medvedev, na próxima semana, reflete que a tendência é de se buscar relações melhores com a Rússia.

De Hoop Scheffer disse que Lavrov e outros ministros abordaram a questão da Geórgia, prolongadamente, e afirmou que ainda existem diferenças fundamentais sobre a integridade territorial da Geórgia. Mesmo com a interrupção da relação com a Otan, a Rússia continuou a cooperar individualmente com outros membros da aliança, como os EUA, França e Alemanha, mantendo a permissão para que eles usassem as redes ferroviárias russas e corredores aéreos para reabastecimento de forças internacionais no Afeganistão, enquanto forças da sua Marinha continuaram trabalhando em conjunto com embarcações da Otan em patrulhas conjuntas contra a pirataria.

Tudo o que sabemos sobre:
otanrússiamilitares

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.