Kayhan Ozer/Presidency Press Service Pool via AP
Kayhan Ozer/Presidency Press Service Pool via AP

Rússia e Turquia reforçam cooperação na Síria para encerrar conflito

Em encontro em Ancara, presidentes sinalizaram possibilidade de acabar com a guerra que já deixou 330 mil mortos desde 2011

O Estado de S.Paulo

28 Setembro 2017 | 17h59

ANCARA - O presidente da Rússia, Vladimir Putin, afirmou nesta quinta-feira, 28, que seu país reforçará sua colaboração com a Turquia para chegar a um cessar-fogo na Síria. Em entrevista ao lado presidente turco Recep Tayyip Erdogan, em Ancara, Putin disse que os países chegaram a um acordo para controlar áreas do cessar-fogo no noroeste do país.

Ele afirmou ainda que já existem as "condições necessárias" para encerrar o conflito na Síria e acrescentou que Ancara e Moscou vão intensificar sua cooperação para alcançar esse objetivo. 

++ A Turquia rumo à ditadura

Mais de 330 mil pessoas, sendo 100 mil civis, morreram desde o início da guerra na Síria em 2011, segundo a ONG Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH).

Curdistão. Sobre o plebiscito de independência do Curdistão em relação ao Iraque na última segunda, Erdogan afirmou que é necessário manter o território. "É preciso proteger a integridade territorial tanto da Síria quanto do Iraque", disse Erdogan. 

O processo eleitoral, considerado histórico, amplia as tensões e os temores de instabilidade regional. Erdogan lamentou que as autoridades do Curdistão tenham cometido "o grande erro" de realizar o referendo, apesar de todas as advertências. "Temos que prevenir que cometam erros ainda maiores", acrescentou. 

++ Curdos: um povo sem estado e em busca de reconhecimento

Os dois líderes destacaram ainda a evolução das relações bilaterais no setor de comércio e de turismo. / EFE e AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.